Rio nas altura por Nilo Lima

RIO CARNAVAL

domingo, 18 de março de 2018

O RETRATO







Sem eu pedir,
um dia você
deu-me o seu retrato.

Segurei, olhei,
emoldurei e guardei.

Para que eu quero
o inanimado... imaginei;
se presente você estava;
se seu corpo eu tocava;
se seu desejo eu partilhava;
se seu calor eu sentia;
se suas carícias eu recebia.

Para que o inanimado,
pra que?

Vivíamos momentos;
momentos passavam;
juntos ficávamos;
juntos, juntos.

Um dia, você se foi,
rompendo-se um elo.

Senti a fraqueza do ser.
Percebi que a vida não tem fronteira.

Somos donos e,
não temos nada.
Somos tudo e,
tudo se faz vazio.

O tempo passou e,
num sopro da lembrança
busquei o seu retrato,
que por sorte da moldura
não fugiu seguindo os seus passos.

Olhei.
vivi momentos passados.
Toquei.
Não senti o calor de outrora.
Somente ficou a marca dos dedos,
na poeira dos tempos,
dos anos que se foram.

Cruzamos, quem sabe?
Olhamos, quem sabe?
Tantas e tantas vezes e
não nos conhecemos.

O retrato inanimado,
fixou-me na mente,
o que você foi.

A imagem presente
era o passado.
A realidade de fato não sei.

Acredito que pelo tempo,
pela textura do papel,
envelhecido e amarelado,
bem no fundo
você se escondeu.



mochiaro





O QUE SERIA DO "NÃO" SE NÃO HOUVESSE O "SIM"

sábado, 17 de março de 2018

DESPERTAR






Acordando em indefinido pensamento.
Em sonhos e pesadelos derretidos.
Na sonolência postada em deslizes.
No corrimão da vida.

Buscando a fiação perdida,
na mistura das linhas,
na costura de um modelo,
antes programado e definido,
hoje embaralhado e perdido.

Um caminho a percorrer,
sem base, direção e sentido.
Fico estático em mortificação,
em espera de um toque ou presença.

Muitos vagueiam num vai e vem.
Muitos cruzam, mas não se aquecem.
Uns conheço em parte, outros não.
O que ausente persiste é justamente,
o que me faz presença em falta constante.

Pintei em aquarela no gotejar de meus sonhos.
Viajo em rios de tinta num afogar colorido
Tomo-te de vez em meu pensamento...
...
eu ausência.


mochiaro

domingo, 11 de março de 2018

VERDADES



VERDADES


O GRITO É A MUDEZ DA VERDADE
O SILÊNCIO É COMO O VAZIO CHEIO
ONDE AUSCULTO A HARMONIA DOS SONS
VINDO DA NATUREZA EM ORQUESTRAÇÃO
LIMPO, PURO, SUAVE, ENVOLVENTE

ASSIM VOU PERSISTIR
NA OBSCURIDADE DO DIA
NA CLARIDADE DA NOITE

DENTRO DE MIM
UM SILÊNCIO GRITA
ECOANDO PARA SENTIMENTOS OUVIDOS
EM VERDADES ACORDADAS

mochiaro

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Maquio a mais bela...

Por mais que eu ative as estrelas
Por mais que acenda o universo
Por mais que eu busque mais luz,
Aonde não existe a claridade.

Eu quero iluminar
O muito que de luz tens
Busco na Lua cheia todo o esplendor
Deixando a Lua nova, sozinha em escuridão

Hoje maquio a mais bela
Uma música chora em gritos/alegrias
Apago as luzes que a pouco montei

E duas!
Somente duas ficam acesas
Eu e Você
Nesse jantar
Ao sabor
A Luz de Velas.

mochiaro

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Arraste na noite


Madrugada silêncio por vezes intolerante,
uma forma de esconder as verdades,
uma busca de perdido,
um perdido do nada.

Reticências... sem definição,
pousada do tempo adormecido,
num vagar de sonhos acordados,
acorrentado em momentos tateados.

mochiaro

sexta-feira, 15 de maio de 2015

UM PRESENTE





v



HOJE GANHEI UM PRESENTE.
ENFIM ALGUÉM SE LEMBROU DE MIM!
E QUE PRESENTE.
UMA CARTA
OU MELHOR
UM AMONTOADO DE CARTAS.
.
UM LIVRO
E QUE LIVRO!!!

PEGUEI COM O CUIDADO PORCELANIZADO..
RETIREI O SEU ENVÓLUCRO,
COM QUEM DESCORTINA O DESCONHECIDO.
DESCOLEI O SÊLO
PRESENÇA MARCANTE DA PARTIDA
E DA CHEGADA.

E, O RESERVEI PARA COLOCÁ-LO,
ENTRE AS FOLHAS,
TAL COMO UMA PÉTALA DE FLOR
MARCANTE DOS MOMENTOS
ANTES VIVIDOS.
.
PALMEI-O,
APALPEI-O,
NA PROCURA DA MACIEZ
DAS MÃOS QUE O CALIGRAFOU.

NAS MARCAS MARCANTES
DAS DIGITAIS ALI CONSTATADAS;
NA TRANSFERÊNCIA DO CARINHO,
DA VONTADE,
DO DESEJO,
DA OFERTA,
DO AMOR,
AO ENVIA-LO
AO PRESENTEÁ-LO.

UMA PARTE DE SI!

HOJE EU GANHEI UM LIVRO!
HOJE EU FUI LEMBRADO!
POR QUEM A DISTÂNCIA NOS SEPARA.
POR QUEM A PRESENÇA
NÃO SE FAZ PRESENTE.
POR QUEM A IMAGEM PRESENTE,
FLUTUA ATRAVÉS DAS ONDAS
SENOIDAIS DA COMUNICAÇÃO.
.
HOJE GANHEI UM LIVRO!
DA FORMA MAIS PROVINCIAL,
DA FORMA MAIS ROMÂNTICA,
DA FORMA MAIS CULTA,
DA CULTURA DOS SERES.
.
HOJE GANHEI UM LIVRO!
GRITEI PARA DENTRO DO MEU INTERIOR;
DESTRAVEI O RELÓGIO DO TEMPO;
DISPAREI SEU ALARME;
ANUNCIEI.

ACORDEI OS ANJOS
SOLTEI UM GRITO ALUCINANTE
UM URRO ANIMALESCO DE FELICIDADE.

CUIDADOSAMENTE.
DESENROLEI AS FOLHAS DO ENVOLTÓRIO
PARA NÃO FERIR A SENSIBILIDADE
ALI PRESENTE.
.
HOJE GANHEI UM LIVRO!
PRENDO INSATISFEITO ESSE DESEJO
DE ABRI-LO,
FOLHEA-O,
DEVORA-LO COM OS OLHOS,
BEIJA-LO
E, APERTA-LO CONTRA O PEITO.
.
VOU COLOCÁ-LO NA MESA DE CABECEIRA
LONGE DOS OUTROS
QUE FICARÃO NA ESTANTE
ENCIUMADOS
COM A PREFERÊNCIA.

HOJE EU GANHEI UM LIVRO!
HOJE CRISTANIZEI-ME.

COM ESTA BIBLIA SAGRADA.
OBRIGADO DEUS
QUE ABENÇOE AS MÃOS QUE O CRIOU.

HOJE GANHEI UM LIVRO!
HOJE EU FUI LEMBRADO!
PELA FADA DAS FADAS

POR VOCÊ


mochiaro

- See more at: http://tubodeensaio-laboratorio.blogspot.com.br/2015/05/um-presemte.html#sthash.iICkuDuY.dpuf

domingo, 15 de dezembro de 2013

EM CÍRCULO





São muitos os vazios entre as letras que compõem uma poesia
São espaços em caminhos retilíneos ou curvilíneos:
A RETA nos afasta ao infinito
O CÍRCULO traz sempre à volta a origem
Assim ao partir podemos escolher o caminho 
Quanto a mim sempre vou escolher o círculo por onde caminhar
caminhar em ângulos marcados por noventa graus.
Ao alcançar a primeira angulação fico na verticalidade de seu caminho.
Na segunda angulação, me sinto na mesma linha, mas em direção oposta.
Em mais um ângulo reto fico em verticalidade invertida.
Mas ao completar uma volta, essa sim, volto à origem.
Na origem de onde parti e você ficou.
Na origem onde voltei e então,
zerei os ângulos.
Assim me fez sentir que não adianta partir;
sem destino e preso ao mesmo raio que me faz girar.
Voltarei sempre à origem de nossos desejos.

mochiaro