Rio nas altura por Nilo Lima

RIO CARNAVAL

sábado, 2 de outubro de 2010

Momentos


Momentos

Seriam de fato momentos?
Num corre corre da vida
Onde seres se cruzam e seguem em frente.

Onde seres se tornam máquinas com ou sem comando.
Onde o sentimento é coisa do passado.

Momentos?
Talvez seja na hora do cafezinho
Na hora do olá! tudo bem!
Na hora do veja isso pra mim.
Na hora da hora da chegada e da partida
Bem! Bati o cartão? Pronto vou embora.

Era eletrônica... em que o beijo é mandado por email
Onde um abraço e formatado em figuras
Onde um calor é o somente do micro
A exalar seus vapores.

Momentos?
Saudosos foram os momentos.
Onde a mulher, sim a mulher, era o motivo,
De se caminhar horas em busca desse prazer.
E não hoje ao somente clicar numa tecla,
Fria, empoeirada, e ainda escura para esconder as digitais

Meus momentos ainda os guardo.
Se cafona nem ligo, mas guardo.
Os tenho e em cofre fechado
Onde a chave somente você a possui.

Abrir e pegar esses momentos?
Eu sei que farás.
Pois não foi a toa que montamos juntos peça por peça.

Eu gostei e você adorou
Eu adorei e você gostou

mochiaro

3 comentários:

  1. sao momentos assim que vale a pena guardar
    na memoria em que o tempo jamais apaga.
    O resto é fugaz...mto fugaz!

    gosto de te ler, meu poeta bruxo.

    ResponderExcluir
  2. relendo-te e absorvendo-te!
    bjssssss bruxo!

    ResponderExcluir